terça-feira, 19 de setembro de 2017

1 ano sem escrever aqui!

Outras mídias abafaram este espaço.
Gosto daqui.
Quero ficar.

quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Como surgiu o COMECE POR VOCÊ?

Há 5 anos, desenhei o Projeto Qualidade de Vida e trabalhei com ele em alguns mini-grupos, foi uma adorável experiência! Minha intenção era, além de PROMOVER ENCONTROS e trabalho em grupo, tocar vários temas e instrumentos que pudessem ser benéficos e FACILMENTE INCORPORADOS À ROTINA dos participantes. Este é o embrião do COMECE POR VOCÊ! O projeto ganhou outro formato e cresceu e enriqueceu com o que estudei e vivi de 2011 pra cá, ênfase para ter me tornado vegana e ter feito a pós em Pedagogia da Cooperação e Metodologias Colaborativas.
O projeto atual - COMECE POR VOCÊ - tem as seguintes INTENÇÕES: *fazer o percurso: eu, nós, mundo refletindo sobre si mesmo, suas ideias e ideais, percebendo a importância da atenção a si como modo de estar nas relações e no mundo; *ter a vivência e a reflexão como instrumentos de conhecimento e elaboração de conteúdos pessoais e do mundo; *apropriar-se de potências e potenciais; *perceber o que é essencial e *conhecer novos modelos de viver.
Qual a DINÂMICA do encontro?
Como já disse, o convite é para um fim de semana LEVE e PROFUNDO através de um FIO de atividades e reflexões que CONECTA o eu, o nós e o mundo. COMO?? Através de conversas significativas, danças circulares, exercícios de criatividade, exposição verbal e slides, jogos cooperativos, meditação, partilha, reflexão e vídeos.
A frase de Gandhi: "Seja a mudança que você quer ver no mundo" é uma ótima epígrafe para o COMECE POR VOCÊ!!:)


quarta-feira, 3 de agosto de 2016

sexta-feira, 15 de julho de 2016

Pedagogia da Cooperação e Metodologias Colaborativas - ô nome graaaaaaande...


Fui aluna da turma 1 Rio da Pós-graduação PEDAGOGIA DA COOPERAÇÃO E METODOLOGIAS COLABORATIVAS. Foi bom demais, por tudo e por cada aprendizado, por cada olhar, por cada abraço. 

Fui convidada para colaborar na turma 2, aceitei o percurso de mais 1 ano e meio naquele ambiente de descoberta e alegria. Mas, o tempo passa incrivelmente rápido e...

... já estamos nos preparando para a turma 3! Fica aqui o convite e a indicação convicta de que essa pós é boa para toda e qualquer pessoa. 

Aí, depois de tanto tempo acompanhando aquilo tudo, organizei um livro-síntese com fragmentos de escritos dos alunos durante o curso. Ficou lindo! Com encadernação do Canteiro de Alfaces. Lembrança boa!



segunda-feira, 30 de maio de 2016

quarta-feira, 30 de março de 2016

Grata pela vida!

Por cada olhar, cada passo, cada momento presente. Por cada dia de sol ou de chuva. Por todas as pessoas que encontrei na vida. Por tantas alegrias e pelos sofrimentos. Por cada aprendizado. Grata pela percepção cada vez mais clara que a vida é o presente: o agora e a dádiva.

sábado, 23 de janeiro de 2016

Meditemos

Estava pensando em trabalhar para as liberdades. Acho que sempre fiz isso, ajudar alguém a deixar sofrimentos é forma de liberdade. Atualmente busco formas mais leves e, ao mesmo tempo, mais urgentes.

De uns tempos pra cá, quando tenho notícia da passagem de algum querido, para além de pensar na vida dele e na nossa amizade, penso na minha morte. Lembro que também partirei. Como todos.

E aí, me pego revendo planos recém surgidos. Se eu tivesse pouco tempo, era isso que eu gostaria de fazer? Sempre há excessos, coisas que eu deixaria pra lá.

Então, o quê?
[artes, encontros, desejo de conversas significativas, além das urgências]

Flôres para quando tu chegares, queridíssimo Aurélio!


domingo, 10 de janeiro de 2016

Como é bom ser otimista

Foi isso que eu ouvi ontem, em tom de crítica, durante uma conversa.

Sou mesmo otimista, mas, quando me disseram isso ontem não estavam falando de otimismo e sim de ingenuidade, irrealidade, síndrome dos óculos cor de rosa, falta de noção ou algo assim. Isso me desagrada.

Há um exame a ser feito, o resultado pode indicar X ou Y. Ainda não foi feito.

Eu disse que ainda não sabíamos o resultado, então não dava pra pensar se seria Y ou Z. Por isto, fui xingada de otimista, com tom de desrespeito a minha colocação. Isso me desagrada.

Abertura é o que falta, à opinião de outros e ao que virá.

p.s.: está tudo bem, não sou eu quem fará o exame.


segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

sábado, 2 de janeiro de 2016

Sobre o viver

Vamos partir do princípio que nós e todo mundo quer/precisa se sentir amado, que todas as necessidades que percebemos são modos de buscar amor, apoio e aprovação. Se for assim, a vida tem a ver com amar e ser amado. O objetivo, então, torna-se descobrir que talento ou característica ou dom me leva a ter mais sucesso nessa empreitada.

Lembrando que: "O planeta não precisa de mais ´pessoas de sucesso´. O planeta precisa desesperadamente de mais pacificadores, curadores, restauradores, contadores de histórias e amantes de todo tipo. Precisa de pessoas que vivam bem nos seus lugares. Precisa de pessoas com coragem moral dispostas a aderir à luta para tornar o mundo habitável e humano, e essas qualidades têm pouco a ver com o sucesso tal como a nossa cultura o tem definido." Dalai Lama

Perguntas que surgem:
O que eu faço, minhas atividades profissionais e outras estão coerentes com meu talento para dar amor? O que eu faço é a melhor maneira que eu tenho de retribuir o amor que recebo? O que eu faço me nutre de amor próprio?

quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Pergunta da vez

Como é a vida mais simples, prazerosa e sustentável que eu consigo manter?

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Voa Lelê!

















Ialê partiu. Voou para outros cenários. Antes de partir, mobilizou muitos corações, numa grande rede de amor e colaboração. Foi cuidada e acompanhada amorosamente por seus mais queridos. Gente linda!

Quando mudaram de cidade, há anos, nosso contato ficou escasso, mas, alguns afetos não se desmancham, ficam ali, vivendo sossegadamente. E assim seguirá.

Serenidade é a palavra. Que todos possam seguir assim, seja em que cenário for.


domingo, 4 de outubro de 2015

Enredar - verbo transitivo direto

Percebo que cada pessoa está na sua própria vida e como é difícil incluir ações para o mundo.
Cada um está enredado na sua vida.
Redes podem unir ou isolar.

sexta-feira, 11 de setembro de 2015

O chamado do agora

A busca não é para ser um sofrimento.
Mas, às vezes, é.
...
Quero inaugurar outra fase, mas não sei qual.
...
E há a pressa de chegar, de resolver, de definir.
...
Meu primeiro impulso é fazer uma agenda para isso:
...
Mas, será que já não aprendi que não funciono assim? Será que não aprendi que é na falta de regras rígidas que me organizo? Será que ainda não aprendi...
...
E aí, nessa falta de regra, de pressa, de meta encontrar o que fazer. O chamado do agora.
...
não sei o que fazer..., além de aguardar. Não sei o que não fazer. Viajaria mais.
...
Transição a ser ultrapassada.
...
O campo é após.

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Refletindo

Aí, depois de um dia remoendo as ideias, pensamentos e dúvidas, resolvi tomar um floral que me ajuda muito a escolher e a manter o centro - o Scleranthus; coloquei as gotinhas no copo e tomei um pouco ainda antes de dormir.
Acordei com duas ideias muito definidas, entre tantas. Na verdade, elas - todas - já estão definidas, a questão é saber se quero ou qual ou quando ou por quê.
Fiquei com vontade de fazer pão, colocar a mão na massa, literalmente (às vezes faz todo sentido).
Eu tinha aqui uma farinha de trigo sarraceno esperando a oportunidade e na feira orgânica de sábado comprei umas flores, pensando num pão. A massa ficou ótima, leve, boa de trabalhar. Sempre fico na dúvida quanto ao tempo no forno, mas acho que hoje fiz uma boa aposta. Ficaram bem bons!!!!!!!
Os sabores de hoje: flores e chia, e grãos com canela.

domingo, 23 de agosto de 2015

O que me mantém viva, além da respiração?

É tanto assunto, tanta possibilidade. Não sei responder com certeza o que me chama mais. Por que fazer isso ou aquilo? E para quê? Qual é a melhor escolha? A que tem propósito e alegria, a que faz olho brilhar e coração acelerar? A que não entedia? Pelo que eu quero levantar todas as manhãs?

sexta-feira, 3 de julho de 2015

O mundo ainda é tão duro.

Sobra humano e falta humanidade.

terça-feira, 26 de maio de 2015

Escrevi o e-mail modo rascunho e ainda não enviei pra ninguém. (...) Dou alguns passos e paro e duvido e não ando mais. (...) Aí começo a pensar em outra possibilidade, (...) fico olhando o dia bonito e não vou lá, nem a lugar nenhum. (...) mais livre e sem pressão, olhando para onde ainda não olhei, (...) E conversar com quem nunca conversei ou com quem não converso há tempos. (...) Queria viajar, conhecer outro lugar para, quem sabe, descobrir outro lugar em mim. (...) O que não quero mesmo é ter que fazer tudo.(...)

terça-feira, 19 de maio de 2015

Não sei se quero os planos que faço.

Fios. Riscos. Direções.

E no meu nome há uma linha disfarçada - line. Line era como me chamavam quando eu era bem pequena (...) Era sonoro, soava doce e harmônico (...)
Mas, qual o ponto de parar de pensar e agir? Qual o ponto de parar de crescer pra dentro e crescer pra fora? Qual o ponto de não ser mais possível caminhar só?

quarta-feira, 6 de maio de 2015

Reflexões sobre as revistas de colorir

Eu gosto de colorir. Quando era criança adorava as revistinhas de colorir. Quando minhas filhas eram crianças, adorava as revistinhas de colorir que comprava para elas e coloria também. Há uns 5 ou 6 anos comprei vários livrinhos de colorir mandalas e tenho até hoje, e pinto quando dá vontade.

Mas, recentemente, as revistas de colorir viraram moda!... Pronto, agora todo mundo quer colorir, freneticamente, para relaxar. Pois é isso que elas prometem: estímulo à criatividade e diminuição do estresse.

Então, é isso, algumas pessoas estão relaxando sim. Mas, muitas estão se estressando pois não encontram mais lápis de cor para comprar, outras porque o resultado da pintura não equivale à expectativa, outras, ainda, porque pintar aquelas páginas inteiras requer atenção, quase obsessão, e não tem nada de relaxante.

Como disse, gosto de colorir, vi que a revista Vida Simples ia lançar uma de colorir (afinal, ser simples não quer dizer ficar fora do mercado) e resolvi comprar uma para mim e uma para minha mãe, que também gosta. Fiquei surpresa ao entrar na banca de jornal e ver uma prateleira enorme cheia de revistas de colorir diferentes! Elas têm algo em comum que percebo como estressante: as páginas são cobertas de desenhos, quase não há lugares livres, momentos de respiração, brechas. O objetivo é colorir, então, como no mundo real, há uma saturação, foco obsessivo no resultado...

Enquanto eu estava na banca de jornal, em menos de 5 minutos, entrou um senhor perguntando se vendia lápis de cor... Os lápis esgotaram nas papelarias. Isso é a moda. Provavelmente, o mercado está tratando de produzir e fornecer mais e mais caixas de lápis de cor para os pintores compulsivos e instantâneos que surgiram como uma tsunami e que, também provavelmente, se dissolverão em pouco tempo, fazendo com que as caixas coloridas encalhem nas lojas...

sábado, 2 de maio de 2015

Exterminei meu arquivo morto.

domingo, 26 de abril de 2015

A cura tem muitas faces

"... encontrar o papel que já teve a função de carregar um medicamento homeopático transportando letras que curam a alma é uma forma bastante inovadora de reciclar as energias."

É muito legal receber o retorno de algumas pessoas que recebem o npersonas homeopático!! Alguns dedicam um tempinho para mandar um e-mail ou fazer um comentário no blog ou marcar no facebook indicando ter gostado da surpresa, da delicadeza ou do escrito à mão!

Faltam poucos envelopes, até o próximo fim de semana terminam, junto com o fechamento da exposição e o tratamento homeopático.

A cura tem muitas faces. Gratidão.

domingo, 5 de abril de 2015

A exposição

Da Escrita Delas Elas, de 28 de março a 3 de maio.
Galeria do Lago,  Museu da República, Rio.
Prêmio Funarte Mulheres nas Artes Visuais.
www.daescrita.com


















3' SOBRE O TRABALHO:
https://www.youtube.com/watch?v=xTgRezR4MVs

Livro n personas, 2013
Publicações do blog, capa minha, encadernação artesanal



















n personas homeopático, 2015
Fragmentos de escritos em 340 papéis homeopáticos, em caixa de vidro

















Será o amor o diapasão do humano?
amor é o que há para ser comunicado.
O insight do outro me emociona.
Uma sensação vaga de incômodo...
O que importa está seguro.
Sentimentos desmedidos.
Sei lá. Queria o mundo.



sexta-feira, 3 de abril de 2015

Tudo me afeta

e me desfoca, despotencializa, desanima, desestimula.

sexta-feira, 13 de março de 2015

Hoje cedo

[...]

Sou assim. E me desvio a todo momento. Mas, será que o desvio não é, então, o que penso ser o caminho?

[...]

E aí penso na disciplina e na ritalina. Eu sou uma multidão. Serei eu minha infinidade de parcerias?

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Sobre o espaço público

(...) Há algum tempo tenho buscado outro modo de estar no mundo. Tem sido mais fácil transformar meu estilo de vida, buscando cada vez mais o que é essencial, a simplicidade, o consumo consciente, por exemplo. (...) Meu olhar sempre foi o de despertar, olhando para o potencial de cada pessoa que chega até mim. Esse é o foco. Arte-vida também é um foco. Arte + expressão + ação política + espaço público + coletivos + empoderamento + qualidade de vida. (...) Tenho experimentado a mudança do olhar sobre o espaço público. Gostaria de estender minha ação através dele, gerando mudanças em mim, no outro, no olhar, na cidade, na cidadania, no presente, no futuro? Não sei. Quero me colocar nesse espaço com o olhar de que ali é o lugar de todos, o lugar de cada um, onde a cidade se mostra, onde se aprende cidadania.

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Suspendi os atendimentos psi

Estou em busca de outras histórias!

domingo, 11 de janeiro de 2015

Novos Rumos

Inventei que ia aproveitar os primeiros meses quentes do ano para desenhar, redesenhar e perceber novas formas de estar no mundo.
Coisas inesperadas aconteceram e eu fui olhar para elas, adiando um pouco os dias de janeiro.
O inesperado está aí. Ainda bem. Com ele, a ineficácia dos planejamentos rígidos e a falta de função das expectativas. Talvez um alerta para a confiança e a entrega. [O fluxo.] A possibilidade de deixar-se ir.
Mas, confiar e entregar não são tarefas simples. Não que sejam complicadas.
É bom lembrar que a vida e tudo nela é processo. Então, ontem um e-mail, uns dias para ler um livro que estava na fila e que se mostrou ótimo no início e chato depois, a possibilidade de abandonar a leitura, um desabafo escrito, e de novo a serenidade.
Tudo está acontecendo mesmo quando parece que nada está acontecendo.

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Fechamento da pós

Na TELA, COR. CALOR.
CAROL, CORAL, ATOL.
Estou LIVRE, o caminho parece VASTO e CLARO.
Sinto os bons ARES do novo ANO.
Na SETA, a direção do RITO.

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Germinação

Artigo pronto, mesmo que precise revisar alguma coisa.
Começo a sentir um espaço livre em mim. Algumas experiências já me trazem reflexões. [...]
tenho vergonha de algumas coisas [...] Falta a personagem, as n personas sou eu. [...]
As pessoas estão envolvidas nas suas próprias vidas, [...]
Estou bem. Muito raramente uma ansiedade sobre o futuro me fita, mas não a deixo ficar. Confiança, disposição, criatividade e fé.
Presença - mesmo sem meditar frequentemente.

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

12/10/14

Dia das Crianças
Último dia do último módulo da pós antes da apresentação de trabalhos/formatura.

Silêncio. Externo e interno.
Nada definido. O mundo.
Serenidade e confiança.
Um momento antes dos próximos passos.

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Fotos

do n personas homeopático

Envelopes prontos, a distribuição começou, saio de casa com eles na bolsa, talvez dure a primavera.





quarta-feira, 17 de setembro de 2014

n personas homeopático


 468 papéis de homeopatia - tomados por mim de janeiro a agosto/14.

468 fragmentos de escritos - escritos por mim, alguns publicados no blog npersonas, outros inéditos escritos de 2000 até agora.

468 envelopes distribuídos por mim em espaços públicos, na primavera/14.

Um livro. Escrito à mão em papéis de seda. Distribuído folha a folha. Em envelopes contendo os dados do projeto, os endereços dos blogs e meu e-mail para possíveis contatos.

    
        
 n personas homeopático faz parte do meu projeto

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Hoje é feriado para mim

Dia em que descobri a maternidade através do parto-portal. Dia de conhecer os seres que me ensinariam a função. Dia de encontrar as pessoas que trilhariam para sempre comigo o caminho da evolução, do autoconhecimento, do cuidado.

Para elas - meus bebês, minhas flores, minhas filhas, as mulheres que me chamam mãe - todos os vivas, muita luz, serenidade e generosidade; punhados de tempo livre, alegria e força, além de todo amor que houver nessa vida!




quarta-feira, 6 de agosto de 2014

sábado, 19 de julho de 2014

50!

E começam as celebrações! Não sou muito de festa, mas, 50 merecem atenção especial. Mesmo sem festa. Ontem teve um parabéns rapidinho na saída da dança circular. Hoje, torta de limão com nozes, chandon, presentes, fotos, surpresas, presenças queridíssimas de gente que fez e faz a minha vida ser boa, risos, afetos. Segunda-feira mais um encontro, algumas presenças repetidas, alguns amigos, pessoas de agora e de há tempos, reencontros. O tempo passa rápido demais, "a vida é um sopro".

domingo, 29 de junho de 2014

Da minha mãe:

"O Meu Triângulo
(dedicada aos meus três filhos queridos)

Linhas que se unem em vértice
por fora,
formando ângulos
internos.

Linhas que se deslocam
em hélice,
apoiando
ângulos eternos.

Três linhas formadas
de múltiplas vidas...

Três jornadas,
três idas
independentes.

Três pessoas livres,
contentes.

Três histórias
diferentes,
que rogo
sejam de vitórias.

Três linhas,
três vértices,
três ângulos
que formam
um triângulo.

O mais belo presente.
O mais querido trio
que o Onipotente
para, da alma, me tirar o frio,
deixou, de suas mãos, escapar
e em meu regaço
agasalhar."

Mãe, te amo!

sexta-feira, 27 de junho de 2014

Presente

...sem pressa, com ritmo, sem tempo, com intenção.
Trecho do meu trabalho de final de curso de Arteterapia, em 2001.

Arrumando gavetas, estantes, mudando coisas de lugar, revendo, reorganizando, relembrando, repensando. Percebendo, de novo, o fio da (minha) vida. Tudo está conectado, tudo faz sentido para mim.
Este é o presente!

sábado, 21 de junho de 2014

Presentes

Ontem ganhei um cordão com pingente de coração e sua chave. Hoje, a lâmpada do gênio. Depois de muito, lembrei do gênio/daimon do Hillman. Que ele me inspire na direção do coração aberto.

sábado, 14 de junho de 2014

Imensidão















Saudade... saudade...
Imensidão.

sábado, 31 de maio de 2014

Um fim de semana para ser leve














O sábado começa com conversa-reflexão sobre o amor.
Metáfora do diapasão e o lá fundamental (fiquei pensando neste como um lugar e não como uma nota).

Será o amor o diapasão do humano? 

Solzinho gostoso, filtro solar, caminhada até o MAC.















Exposição bacana - Novas Conexões Platônicas, gostei da tela da Katie Scherpenberg, destaque para Sonho de Valsa, de Chico Cunha:

                                                                                                                                                      Caminhada de volta pra casa com música - preciso atualizar meu iPod. Vergara passou por mim de bicicleta algumas vezes no percurso. Engraçado a gente conhecer quem não conhece a gente.


Indo continuar a ser leve.



segunda-feira, 19 de maio de 2014

Hoje eu acordei triste

Mas não é uma tristeza ruim. É tristeza em cenário de serenidade. É tristeza que adivinha a saudade que virá a seguir e que será para sempre saudade. Tristeza porque nunca mais sairemos para um almoço ou falaremos ao telefone, nunca mais conversaremos ou trocaremos e-mails. Nunca mais um abraço. Nunca mais nada, essa é a tristeza.

Os últimos meses misturaram tristeza, surpresa, confiança, esperança, torcida, convívio, susto, acompanhamento, preocupação, amizade. Foi um período tenso e repleto de expectativa. Vivíamos o hoje buscando o amanhã melhor. E esta espera por melhora mantinha a tristeza um pouco à margem.

No fim de semana, a passagem. Momento também repleto. Inclusive de pessoas de há muito, pessoas esquecidas e que ali surgiram, pessoas da história e também pessoas que andam juntas pelo caminho. E com elas conversas, lembranças, sorrisos e lágrimas, confirmação de laços, promessas de encontros futuros.

Hoje não há mais expectativa de melhora nem de notícias, não há o horário de visita. Hoje a esperança e a preocupação se foram. Hoje eu acordei triste.

quinta-feira, 8 de maio de 2014

Resenha 3

Quando escrever duas ou três páginas se torna um sacrifício.

segunda-feira, 28 de abril de 2014

O amor é o que há para ser comunicado

Há duas noites tenho sonhos que dizem sobre mudanças e confiança. Acordo mais segura para continuar no caminho que me motiva e dá sentido, embora ele seja apenas uma ideia, ou melhor, uma direção, ainda sem contornos de uma ideia. Talvez um ideal.

E cada situação do dia vai confirmando a direção. Seja uma desmotivação, um presente, uma notícia ruim, cada situação me leva para mais perto do caminho ainda não traçado, ao invés de me fazer recuar e pensar em um cenário prático e imediato.

Penso que cumpri um papel e que é hora de mudar. Não será completamente diferente, na verdade, o fim é o mesmo. Mas, preciso de outro meio (um dos sonhos ilustrava uma série de equívocos nos meios de transporte que eu utilizava). Hora de mudar a forma.

Às vezes dá um certo receio, nada está definido. Então eu penso que, de verdade, nada nunca está definido e não estará definido previamente. O futuro é uma ilusão que pode ou não acontecer. Então ouso querer um futuro que faça feliz a mim e a muitos outros, mesmo que demore ou que não seja fácil ou prático ou, quem sabe, possível.

Porque, a cada dia, tenho mais consciência da finitude e isso me dá coragem e força para fazer a minha vida seguir seu próprio rumo.